fios - Dia dos Namorados


fios - Dia dos Namorados

Uma relao amorosa um projeto que se vai construindo, passo a passo, lado a lado. Grande desafio este, que no nos permite distraes, enquanto corremos atrs de uma carreira profissional, enquanto nos envolvemos na rotina dos dias ou mesmo enquanto tentamos alcanar formas fceis, mas volteis, de realizao e prazer imediato.
PARE, ESCUTE e OLHE para que a noo do essencial no deixe de estar presente, sob pena de o valor das coisas e dos acontecimentos deixar para segundo plano o valor das PESSOAS e das relaes amorosas.
Para sermos Namorados temos que estar disponveis para um jogo que se faz a dois. Temos que aprender a construir um NS que saiba conviver com o EU e o TU.
Tudo isto em tempos, o das sociedades modernas, em que h uma emergncia do EU, que se traduz na preservao crescente dos direitos individuais.
Diz o povo que viver no custa, o que custa saber viver. A construo de uma relao amorosa lembra-nos a metfora da Bola. A Bola atrs da qual se corre enquanto ela se move. Quando para, ou quando simplesmente abranda o seu movimento, vamos ter que lhe dar um pequeno empurro (para a mantermos em movimento) .
Uma relao amorosa carece de ser protegida e acarinhada. S quem faz parte dela o pode fazer. O Dia dos Namorados, talvez tenha a importncia de lembrete para que os namorados se mantenham atentos ao NS.
Todos sabemos destas questes, o que favorece que o verdadeiramente importante as questes da relao amorosa se tornem banais, to banais quanto comerciais.
O SEGREDO, disse-nos o Principezinho, no nos esquecermos que o essencial invisvel aos olhos e, em matria de Namorados, no est venda. mesmo tarefa de cada casal.

Bons e muitos dias de S. Valentim.

Por:
Belisa Casimiro, Assistente Social
Elisa Veiga, Psicloga

<< Voltar Imprimir